Tiroteio em região islâmica no sul da Rússia deixa 11 mortos

Sete polociais estão entre as vítimas; rebeldes lutam pela imposição da sharia na região

Reuters

11 de novembro de 2010 | 12h43

Carro foi incendiado no local do tiroteio.

 

MAKHACHKALA - Sete policiais e quatro rebeldes foram mortos em tiroteios nesta quinta-feira na região russa do Daguestão, no norte do Cáucaso, informou a polícia. O governo russo vem tentando conter uma insurgência de grupos islâmicos no Cáucaso, no sudeste do país.

Suspeitos de serem militantes mataram a tiros sete guardas de trânsito na capital do Daguestão, Makhachkala, no mar Cáspio, disse uma fonte da polícia à Reuters, acrescentando que quatro rebeldes tinham sido mortos no tiroteio que se seguiu.

Três policiais e três pedestres ficaram feridos nos ataques, afirmou a fonte, sob condição de manter o anominato.

Dez anos depois de a Rússia ter removido os separatistas do poder na Chechênia, na segunda de duas guerras na região, o norte do Cáucaso, região predominantemente muçulmana, convive quae diariamente com a violência.

Com uma população de 2,5 milhões de habitantes, o Daguestão superou a Chechênia como epicentro da violência da insurgência. A pobreza e a ideologia da jihad (guerra santa) mundial contribuem para alimentar a campanha armada com o objetivo de criar um Estado governado pela sharia (lei islâmica).

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaDagustãoCáucaso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.