Reuters
Reuters

Tiroteio entre polícia russa e militantes deixa sete mortos no sul do país

Governo lança operação contra grupos islâmicos do Cáucaso às vésperas de Olimpíada de Inverno

O Estado de S. Paulo,

15 de janeiro de 2014 | 08h00

Três membros das forças de segurança da Rússia e quatro suspeitos armados foram mortos em uma troca de tiros no sul da Rússia nesta quarta-feira, durante uma operação de caça a militantes antes dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi.  O Comitê Nacional Antiterrorismo da Rússia disse que entre os suspeitos mortos está um homem acusado de realizar um ataque com um carro-bomba na cidade de Pyatigorsk, no fim do ano passado, que deixou três mortos.

A Rússia está em alerta após dois atentados suicidas no sul do país no mês passado que aumentaram as preocupações de segurança antes dos Jogos de Inverno, que foram alvo de ameaça de militantes islâmicos que travam uma insurgência no Cáucaso Norte.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, colocou em jogo o prestígio pessoal e político com a realização dos Jogos, que começam em 7 de fevereiro, e colocou as forças de segurança em alerta de combate em Sochi.

O comitê de combate ao terrorismo disse que um grupo de militantes estava escondido em uma casa no vilarejo de Karlanyurt, no Daguestão, que fica no Cáucaso Norte. Cinco oficiais ficaram feridos na operação.

A capital do Daguestão, Makhachkala, fica cerca de 620 quilômetros a leste de Sochi. A região de maioria muçulmana sofre com ataques principalmente contra a polícia e autoridades públicas, como parte da luta dos militantes pela criação de um Estado islâmico.  Ao menos 34 pessoas morreram no mês passado nos ataques suicidas na cidade de Volgogrado, no sul do país. / REUTERS 

Tudo o que sabemos sobre:
Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.