Tony Blair critica a atitude do Vaticano sobre homossexuais

Para ex primeiro-ministro britânico, Igreja deveria se reformar como os partidos políticos

Efe

08 de abril de 2009 | 05h24

O ex primeiro-ministro britânico Tony Blair criticou nesta quarta-feira, 8, em entrevista a atitude do Vaticano e do Papa Bento XVI sobre os homossexuais, que qualifica de mais "fechada" e menos tolerante que as da maioria dos católicos.

 

Em declarações à revista Attitude, destinada a um público gay, Blair, que se converteu ao catolicismo depois de deixar o cargo há dois anos, dá a entender que a Igreja deveria se reformar como ele reformou o Partido Trabalhista britânico.

 

"As religiões organizadas estão no mesmo dilema dos partidos políticos quando enfrentam circunstâncias de mudança", explica o político.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.