Touros deixam vítimas no quarto dia da festa de Pamplona

Um homem foi chifrado e pelomenos seis outras pessoas foram hospitalizadas no quarto dia dafesta anual de San Fermín, em Pamplona (norte da Espanha),disseram os organizadores na quinta-feira. Um espanhol de 28 anos foi chifrado na coxa direita e deveser operado. Quatro pessoas sofreram lesões na cabeça,inclusive um norte-americano de 31 anos, e um espanhol de 29teve lesões múltiplas. Outros pacientes foram atendidos comcortes e arranhões. O norte-americano foi ferido durante a manhã, quando corriados touros que são soltos pelas estreitas ruas de pedra docentro medieval de Pamplona. Os animais pesam até 700 quilos. Dezenas de pessoas já foram feridas durante a semana. Naquarta-feira, outro norte-americano foi chifrado. Também houvecasos de pulmão perfurado, baço rompido e costelas quebradas. No domingo, pouco antes do início da festa, um turistairlandês de 23 anos morreu ao cair das muralhas de Pamplona. Mesmo com tantas desgraças, a festa continua atraindoturistas do mundo todo, e a corrida pela cidade --com duraçãoaproximada de 4 minutos-- é transmitida ao vivo pela TVespanhola. Ao final do trajeto, dentro de uma arena, os touroscostumam ser mortos por toureiros. Centenas de aventureiros envergam os trajes brancos,arrematados com um cinto e um laço vermelhos, e lotam as ruasda cidade ao alvorecer. Eles entoam cânticos numa igrejadevotada a São Firmino (San Fermín), padroeiro da região deNavarra, antes de se arriscar na frente dos touros. A festa foi descrita por Ernest Hemingway em seu romance "OSol Também se Levanta", um relato semi-autobiográfico sobreamigos britânicos e norte-americanos que, embalados por muitoálcool, participam de um San Fermín da década de 1920. (Reportagem de Cristina Fuentes)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.