Trabalhistas precisam mudar, defende chanceler britânico

Em artigo, Miliband aumenta a pressão sobre o premiê Gordon Brown, enfraquecido em série de derrotas locais

Agência Estado e Associated Press,

30 de julho de 2008 | 12h27

O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, David Miliband, aumentou nesta quarta-feira, 30, a pressão sobre o primeiro-ministro Gordon Brown ao assinar um artigo no qual defende que o Partido Trabalhista mude ou corra o risco de ser derrotado nas próximas eleições.  A popularidade de Brown tem sido duramente afetada pela desaceleração econômica e por uma série de derrotas eleitorais locais. Alguns integrantes do Partido Trabalhista já chegaram a exigir a renúncia do chefe de governo. "Estamos em desvantagem. Não há dúvida. Mas eu acredito que ainda podemos vencer a próxima eleição", escreve Miliband, uma estrela em ascensão nas fileiras trabalhistas, em artigo publicado no jornal The Guardian. Miliband é visto como futuro desafiante de Brown pela liderança do partido. No artigo, o chanceler não critica o primeiro-ministro, mas também não o apóia. Miliband nem ao menos menciona Brown pelo nome em um texto pontuado pelas palavras "mudança" e "modernização". O secretário salienta que os trabalhistas venceram três eleições nacionais desde 1997 "oferecendo mudanças verdadeiras, não apenas em programas, mas na forma de fazer política". "Precisamos retomar isso. Então paremos de sentir pena de nós mesmos, façamos uma pausa e busquemos a confiança necessária para renovar nosso argumento", escreveu.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.