Tratado de paz Chile-Argentina é exemplo para região, diz papa

O papa Bento 16 recebeu no sábado as presidentes de Argentina e Chile para comemorar a mediação papal de 25 anos atrás que evitou uma guerra entre os dois países, e destacou que o tratado firmado naquela ocasião é um exemplo de paz para a América Latina.

REUTERS

28 Novembro 2009 | 13h46

Na sala Clementina do Palácio Apostólico, o papa recebeu as delegações lideradas pela argentina Cristina Kirchner e sua colega chilena, Michele Bachelet, que agradeceram a gestão papal que encerrou uma disputa territorial que os dois países mantiveram por muito tempo.

No encontro, o pontífice destacou que a partir do Tratado de Paz e Amizade firmado sobe a mediação do papa João Paulo 2o, Argentina e Chile reforçaram sua cooperação e integração em economia, cultura e infraestrutura, "superando... suspeitas e reticências do passado".

"Na realidade, Chile e Argentina não são apenas duas nações vizinha se não muito mais: são dois povos irmãos com uma vocação comum de fraternidade, de respeito e amizade", disse o papa.

"Este acontecimento que hoje comemoramos já faz parte da grande história de duas nobres nações, e também de toda a América Latina. O Tratado de Paz e Amizade é um exemplo luminoso", acrescentou.

Mais conteúdo sobre:
VATICANO CHILE AR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.