Trem descarrila após explosão na Rússia e deixa 60 feridos

Ao menos doze vagões saíram dos trilhos; companhia ferroviária sugere provável sabotagem

Reuters, Associated Press e Efe,

13 de agosto de 2007 | 18h10

Uma explosão descarrilou um trem entre Moscou e São Petersburgo na noite desta segunda-feira, 13, ferindo dezenas de passageiros, mas sem provocar vítimas fatais, segundo autoridades. O trem "Expresso Nevsky", viajando entre Moscou e São Petersburgo, descarrilou na noite desta segunda nas proximidades da cidade de Novgorod, cerca de 500 km a noroeste de Moscou, segundo o porta-voz do Ministério de Situações Emergenciais, Viktor Beltsov. A causa da explosão ainda é desconhecida. Em nota, a empresa ferroviária russa disse que "doze vagões descarrilaram: todos menos o primeiro". A nota diz que a explosão foi provocada por uma "ação externa", o que sugere a ocorrência de sabotagem, ao invés de falha técnica. O incidente ocorreu na região de Novgorod, cerca de 500 quilômetros ao norte de Moscou, perto da aldeia de Malaya Vishera. Beltsov disse que 27 pessoas foram hospitalizadas, sendo três em estado grave. Agências locais de notícias disseram que houve um total de 60 feridos, mas que a maioria dispensou internação. "O maquinista disse ter ouvido um estampido alto", afirmou Alexander Pirkov, assessor de Vladimir Yakunin, presidente da empresa ferroviária, a uma TV local. "Havia 215 passageiros a bordo e alguns ficaram feridos, mas não há vítimas fatais, segundo informações preliminares. Nove vagões saíram dos trilhos." Fontes policiais disseram à agência Interfax que uma cratera com 1,5 metro de diâmetro foi achada sob um dos vagões.  Esse trecho ferroviário, entre as duas maiores cidades russas, é o mais movimentado do país. As agências disseram que a ferrovia fechou, mas que rotas alternativas foram acionadas para manter o serviço ferroviário. A Rússia tem um histórico de ataques violentos contra alvos civis, muitos deles realizados por grupos ligados a separatistas da Chechênia (sul). Mas os insurgentes não realizam ataques fora da Chechênia e regiões vizinhas há pelo menos um ano, depois que muitos separatistas foram mortos ou presos. Técnicos em explosivos do Serviço Federal de Segurança (FSB, antiga KGB) trabalham no local do incidente. As duas vias da linha férrea que une Moscou à terceira maior cidade da Rússia ficaram inutilizadas. A RJD criou uma comissão especial para investigar as causas do descarrilamento.Atualizado às 19h28.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaDescarrilamento de trem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.