Três terroristas da Al-Qaeda são condenados na Alemanha

Detidos em 2005 são acusados de buscar voluntários para atentados para a organização de Osama bin Laden

Efe,

05 de dezembro de 2007 | 13h17

A Audiência Territorial de Düsseldorf, no oeste da Alemanha, condenou nesta quarta-feira, 5, três homens a penas de três anos e meio, seis e sete anos de prisão por arrecadar fundos e recrutar combatentes para integrar a rede Al-Qaeda, colocando fim a um julgamento que começou há um ano e meio.   Os três homens, dois de origem palestina e um sírio com idades entre 30 e 33 anos, foram julgados como suspeitos de integrar uma célula de apoio à organização terrorista liderada por Osama bin Laden, além de cometer fraude contra seguradoras no valor de mais de 4 milhões de euros.   Os terroristas teriam tentado "assinar uma série de seguros de vida para depois encenar um acidente no Egito", disse o procurador Horst Salzmann. A Procuradoria tinha solicitado penas de cinco a nove anos de prisão para os acusados, enquanto a defesa exigia sua libertação, argumentando que a ampla operação de escutas policiais em que se basearam as provas tinha sido ilegal.   O tribunal condenou o principal acusado, o cidadão sírio Ibrahim Mohammed K., de 32 anos, a sete anos de prisão por pertencer a organização terrorista e tentativa de fraude a companhias seguradoras em 28 casos. O palestino Yasser Abu S., de 34 anos, recebeu seis anos de condenação pelas mesmas acusações e seu irmão Abu S., de 30 anos, pegou três anos e meio por apoio a organização terrorista e tentativa de fraude.   Segundo a acusação, o principal acusado era o encarregado de recrutar na Europa pessoas dispostas a cometer atentados suicidas e que tentou sem sucesso obter material nuclear. Considerado também o líder do grupo e com a maior condenação dos três, Ibrahim Mohammed K. recebeu formação terrorista em um campo de treinamento da Al-Qaeda antes dos atentados de 11 de setembro de 2001 e lutou em 2002 no Afeganistão contra as tropas americanas.   O suposto líder se transferiu em 2004 para a Alemanha por ordem de Osama bin Laden, a fim de recrutar novos membros, como os dois irmãos palestinos. Yasser Abu S. foi acusado de ter planejado um atentado no Exterior.   A polícia interceptou durante mais de 150 dias as conversas dos três acusados, recolhendo assim o material que permitiu a condenação, antes de proceder a detenção deles em janeiro de 2005.

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhaterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.