Tskhinvali tem noite tranqüila após fim de conflito

Autoridades afirmam que disparos isolados não deixam feridos; Sarkozy consegue acordo entre Geórgia e Rússia

Efe,

13 de agosto de 2008 | 03h46

Tskhinvali, a capital da região separatista georgiana da Ossétia do Sul, passou uma noite calma, após o anúncio do fim das ações militares na região nesta terça-feira, 12.  Veja também:Nas ruas de Gori, um retrato da destruiçãoGeórgia aceita versão modificada do plano de cessar-fogoGeorgianos protestam contra ofensiva russa  Refugiados chegam a 100 mil, diz ONUOuça o relato de Lourival Sant'Anna  Imagens feitas direto de Gori, na Geórgia  Godoy e Cristiano Dias comentam conflito  Entenda o conflito separatista na Geórgia  "Praticamente não foram ouvidos disparos, salvo um ou outro tiro isolado", comunicou a agência oficial russa RIA Novosti, que destacou que não houve disparos de armamento pesado, artilharia e tanques. As autoridades da Ossétia do Sul assinalaram que não houve feridos por causa dos disparos isolados, qualificados de "provocação contra as tropas de paz russas". Rússia e Geórgia aceitaram o plano apresentado pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, em nome da União Européia (UE), e que prevê o retorno das tropas russas e georgianas a suas posições anteriores ao conflito. Sarkozy, que ocupa a Presidência rotativa da UE, conseguiu o consentimento de ambos os países com o plano, em visitas a Moscou e Tbilisi, nas quais se encontrou com os presidentes russo, Dmitri Medvedev, e georgiano, Mikhail Saakashvili. Na terça-feira, pouco antes da chegada de Sarkozy a Moscou, Medvedev anunciou o fim das operações militares russas na Geórgia. "O objetivo da operação para impor a paz foi cumprido. A segurança das tropas de paz e dos cidadãos russos está garantida", disse Medvedev em alusão aos habitantes da Ossétia do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.