Turquia confirma planos para permitir ação no Iraque

Premiê quer que Exército ataque guerrilheiros curdos que usam bases na região para atacar território turco

Associated Press e Reuters,

10 de outubro de 2007 | 08h10

O primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, confirmou nesta quarta-feira, 10, que o governo está criando planos para autorizar uma incursão militar no norte do Iraque, a fim de combater rebeldes curdos na área caso isso se torne necessário. "(Preparações sobre a proposta) começaram e continuam", disse Erdogan a repórteres ao chegar ao Parlamento do país. O Parlamentoo terá que dar autorização para que tropas cruzem a fronteira rumo ao Iraque. Analistas políticos dizem que uma operação militar de grande escala é improvável, dada a oposição dos Estados Unidos, mas Erdogan vem sendo pressionado para agir com firmeza, após uma série de ataques de rebeldes contra as forças de segurança da Turquia.   A Turquia tem promovido operações de menor escala contra guerrilheiros curdos no Iraque que não exigem aprovação parlamentar.   A "organização terrorista" mencionada no documento é o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, por suas iniciais em curdo), que levantou-se em armas em 1984.   Há temores entre iraquianos e americanos de que uma eventual invasão turca desestabilize uma região do Iraque que não vem sendo tão afetada pela violência quanto o centro e o sul do país árabe, apesar de uma recente escalada.   A Turquia pressionada para que os Estados Unidos e o Iraque atuem contra os rebeldes curdos, mas tem demonstrado uma insatisfação cada vez maior com a inação de Washington e de Bagdá. Nos últimos dez dias, mais de 20 pessoas morreram em ataques atribuídos ao PKK na Turquia. 

Tudo o que sabemos sobre:
TURQUIACONFIRMAPLANOIRAQUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.