Turquia convoca embaixador em meio a disputa com EUA

Decisão é novo capítulo na polêmica com Congresso americano, que reconheceu genocídio de armênios

Agências internacionais,

11 de outubro de 2007 | 14h45

A Turquia convocou para consultas seu embaixador em Washington nesta quinta-feira, 11, informou um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores turco. O diplomata deve permanecer em Ancara por entre sete e dez dias.  Veja também:Turquia condena voto sobre 'genocídio' armênioEntenda a questão do genocídio armênio Turquia bombardeia rebeldes curdos Genocídio armênio, dilema americano    A decisão ocorre em meio a uma polêmica provocada pela decisão de uma comissão do Congresso americano, que na quarta-feira reconheceu o genocídio de armênios por turcos otomanos durante a 2ª Guerra Mundial como "genocídio".  "Nós estamos retirando nosso embaixador. Nós os chamamos para que possamos fazer consultas", disse o porta-voz. Líderes turcos rechaçaram a decisão de uma comissão parlamentar americana de aprovar o projeto. Apesar da intensa pressão da Turquia e do próprio presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, a Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes aprovou por 27 a 21 a caracterização. Especialistas acreditam que a decisão será interpretada como insulto pela maioria dos turcos.Bush alertou que o projeto pode prejudicar as relações entre Washington e Ancara, já consideravelmente tensas em um momento no qual a Turquia analisa a possibilidade de invadir o norte do Iraque para reprimir guerrilheiros curdos escondidos na região. "Infelizmente, alguns políticos nos Estados Unidos mais uma vez sacrificaram questões importantes em favor de questões políticas internas, apesar de todos os apelos por bom senso", disse o presidente da Turquia, Abdullah Gul, depois da votação.Por meio de um comunicado, o governo turco denunciou a decisão. "Não é possível aceitar tal acusação de um crime que não foi cometido pela nação turca." Os armênios denunciam que 1,5 milhão de seus compatriotas foram mortos em um genocídio sistemático pelo Império Turco-Otomano entre 1915 e 1917, antes da fundação da Turquia moderna, em 1923.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.