Turquia diz que não há prazo de retirada do norte do Iraque

A Turquia afirmou nesta quarta-feira quenão há prazo de retirada de suas tropas da luta contraguerrilheiros curdos no norte do Iraque, resistindo à pressãodos Estados Unidos e outros aliados para que encerre a ofensivarapidamente. Milhares de soldados turcos cruzaram a fronteira naquinta-feira passada para enfrentar combatentes do partido PKK,que tem usado a montanhosa região do norte do Iraque como basepara uma campanha militar que busca a autonomia curda nosudeste da Turquia. "Nosso objetivo é claro, nossa missão é clara e não háprazo até... que as bases destes terroristas sejam eliminadas",disse o enviado turco Ahmet Davutoglu em uma coletiva deimprensa após conversas, em Bagdá, com o ministro das RelaçõesExteriores do Iraque, Hoshiyar Zebari. Davutoglu, principal conselheiro de política externa dopremiê turco Tayyip Erdogan, foi enviado a Bagdá para explicara posição de Ancara sobre a ofensiva. Ele também se encontroucom autoridades norte-americanas, incluindo o comandantemilitar das tropas dos EUA, general David Petraeus. O primeiro-ministro em exercício do Iraque, Barham Saleh,afirmou que uma prolongada operação turca pode levar a"terríveis" consequências para a região e repetiu a exigênciade Bagdá pelo fim da incursão. "Isso... é perigoso para a estabilidade do Iraque e daregião como um todo", disse ele, que é curdo, à Reuters duranteuma conferência econômica. O Estado Maior da Turquia informou que outros 77 rebeldesdo Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) morreram emintensos combates desde terça-feira à noite, elevando o númerode fatalidades entre rebeldes a 230 desde o início da ofensivaturca. Fontes militares no sudeste da Turquia relataram quecentenas de soldados turcos foram transportados para dentro doIraque por helicópteros no começo da noite desta quarta-feira(horário local). Segundo as fontes, também havia relatos de intensosconfrontos na área próxima aos campos do PKK em Zap e Haftaninno começo da noite, com guerrilheiros oferecendo forteresistência. Os EUA e a União Européia mostraram preocupação com oassunto. O secretário de Defesa norte-americano, Robert Gates, quechega na Turquia para encontro com autoridades na quinta-feira,afirmou que Ancara deve limitar suas operações a dias, e nãomeses. "É muito importante que os turcos realizem esta operação emmenos tempo possível e saiam, e que sejam conscientes dasoberania do Iraque", disse Gates a repórteres em Nova Délhi,Índia, antes de seguir viagem para Ancara. (Reportagem de Mohammed Abbas em Bagdá e Kristin Roberts emNova Délhi)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.