Turquia registra confrontos após dissolvição de partido curdo

Confrontos foram registrados em algumas cidades na região curda do sudeste da Turquia neste sábado após uma corte ter dissolvido um importante partido curdo, decisão que golpeia os esforços do governo para por fim à décadas de conflito no país.

MERT OZKAN, REUTERS

12 de dezembro de 2009 | 16h42

Em Ancara, delegados do Partido da Sociedade Democrática (DTP, na sigla em inglês) disseram que renunciarão ao Parlamento em protesto à decisão da Corte Constitucional de dissolver o partido, o que gerou preocupações na União Europeia e em Washington.

Imagens mostravam centenas de manifestantes enfrentando policiais com bombas caseiras e pedras na cidade de Hakkari. A polícia reagiu com canhões de água e bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

A agência estatal de notícias Anatolian disse que uma menina ficou ferida em Hakkari, onde os manifestantes atacaram dois policiais.

Houve relatos de confrontos em Van e de protestos na cidade de Diyarbakir, a maior cidade no sudeste turco e onde as tensões seguem altas.

A Corte decidiu na sexta-feira pela dissolvição do DTP após ter condenado o partido por cooperar com as guerrilhas separatistas do Partidos dos Trabalhadores Curdos (PKK, na sigla em inglês).

"Proibir o Partido da Sociedade Democrática é um golpe aos esforços para resolver a questão curda e garantir os direitos das minorias na Turquia", disse em comunicado Emma Sinclair-Webb, pesquisadora turca do grupo Human Rights Watch.

"É uma questão de urgência, o governo deve revisar a constituição e a lei de partidos políticos, para que este tipo de proibição não seja possível no futuro", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
TURQUIACURDOSCONFRONTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.