Turquia volta a atacar rebeldes curdos na fronteira

Helicópteros turcos atacaramposições de rebeldes curdos perto da fronteira com o Iraque,nesta terça-feira, e o primeiro-ministro Tayyip Erdoganreafirmou a intenção de Ancara de enviar tropas para dentro doterritório iraquiano, mesmo sob oposição dos Estados Unidos. Testemunhas na Província de Sirnak viram fumaça na área damontanhosa fronteira depois que os helicópteros passaram sobreas posições rebeldes. Mais cedo, um comboio de até 40 veículos militaresdirigiu-se para a região da fronteira. Soldados vasculharam asmontanhas em busca de minas terrestres, arma favorita dasguerrilhas. Três soldados turcos foram mortos nas últimas 24 horasnesta área e um quarto morreu na segunda-feira na Província deTunceli, centenas de quilômetros ao norte. A Turquia já mobilizou até 100 mil tropas, apoiadas portanques, artilharia, caças e helicópteros de combate, para afronteira com o Iraque, a fim de se preparar para uma possíveloperação militar. Acredita-se que cerca de 3.000 rebeldesestejam se escondendo no norte iraquiano. "A Turquia tem que agir militarmente contra o terrorismo.Nossas forças de segurança continuam em suas operações seminterrupção", disse Erdogan a membros de seu partido noParlamento. "Estamos no estágio de tomar uma decisão e tomaremos umadecisão sozinhos...Estamos empregando todos os nossos recursospara obter resultados no menor tempo", afirmou. Os EUA e o Iraque pressionam a Turquia para evitar uma açãomilitar de grande porte na região, temendo que issodesestabilize a área como um todo. Mas, por outro lado, Washington não tem mostrado disposiçãode combater os rebeldes do Partido dos Trabalhadores doCurdistão (PKK), apesar de insistentes apelos de Ancara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.