Ucrânia critica postura da Rússia sobre votação de rebeldes no leste

A Ucrânia considerou nesta terça-feira "destruidora e provocativa" a postura da Rússia em relação à votação organizada pelos rebeldes separatistas pró-russos do leste ucraniano para o próximo domingo, dizendo que o reconhecimento do pleito por parte de Moscou pode arruinar as chances de se obter a paz.

RICHARD BALMFORTH, REUTERS

28 de outubro de 2014 | 16h33

A votação de 2 de novembro será levada a cabo em desafio às eleições nacionais ucranianas do domingo passado vencidas por partidos pró-Ocidente, dedicados a manter a coesão da ex-república soviética e negociar um desfecho para o conflito.

Em uma entrevista à mídia russa, o ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse que o pleito que está sendo organizado pelas autoproclamadas “repúblicas populares” de Donetsk e Luhansk “seria importante do ponto de vista da legitimação do poder”.

“Esperamos que as eleições sejam realizadas como o planejado, e é claro que reconheceremos os resultados”, afirmou Lavrov ao jornal Izvestia e à rede de televisão LifeNews.

Em Kiev, o porta-voz do chanceler ucraniano declarou: “Os comentários absolutamente destruidores e provocativos dos representantes russos, incluindo os do ministro das Relações Exteriores, serão interpretados pelos terroristas como um incentivo da Rússia para que realizem as eleições ilegais de 2 de novembro.”

“O Kremlin está piorando a situação conscientemente... Em uma situação tão extraordinariamente frágil, esta é uma medida irresponsável da Rússia que pode ameaçar o processo de paz”, disse Yevhen Perebynis em um comunicado.

A desavença tensionou ainda mais o cabo de guerra entre a Rússia e o Ocidente quanto ao futuro da Ucrânia. O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, cujo grupo foi um dos grandes vencedores do pleito parlamentar, também se posicionou contra as "pseudo-eleições" planejadas pelos rebeldes.

(Reportagem adicional de Gabriela Baczynska, em Moscou)

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIACRITICARUSSIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.