Ucrânia enfrenta 'mercenários estrangeiros' no leste, diz presidente

Segundo Poroshenko, batalha é pela soberania, integridade territorial e independência da Ucrânia

REUTERS

26 de julho de 2014 | 12h18

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, disse neste sábado que seu país não está lutando uma guerra civil no leste e sim, enfrentando "mercenários estrangeiros", ao mesmo tempo elogiando soldados por expulsarem rebeldes pró-Rússia de diversos vilarejos e cidades.

Em meio a conflitos em torno das fortalezas rebeldes de Donetsk e Luhansk, o líder ucraniano concedeu a membros da recém-formada Guarda Nacional medalhas por serviço.

"É uma verdadeira batalha pela soberania da Ucrânia, a integridade territorial da Ucrânia, a independência da Ucrânia", disse Poroshenko, vestido em camuflagem militar.

"Não é um conflito interno, é a Ucrânia defendendo seu território de mercenários estrangeiros, de bandidos e de terroristas", disse ele a soldados.

Kiev tem acusado Moscou de enviar rebeldes e armas ao longo de suas porosas fronteiras com a Ucrânia, acusação que a Rússia nega. Mas alguns batalhões já disseram abertamente que são compostos de voluntários de diversos países, incluindo a Rússia.

(Reportagem de Aleksandar Vasovic em Donetsk, Lina Kushch em Kiev, Sergei Karazy em Kharkiv)

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIAMERCENARIOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.