Ucrânia vai abandonar estoque de urânio altamente enriquecido

Ucrânia vai abandonar estoque de urânio altamente enriquecido

Decisão foi anunciada durante encontro de Barack Obama e Viktor Yanukovych em Washington

Reuters

12 de abril de 2010 | 15h22

 

WASHINGTON - A Ucrânia abandonará todo o seu estoque de urânio enriquecido a altos níveis até 2012 e converterá sua usina de produção de energia nuclear para operar com urânio pouco enriquecido, informou nesta segunda-feira, 12, a Casa Branca.

 

Veja também:

linkONU proporá cúpula para discutir tratado sobre material nuclear

especialOs últimos eventos da crise nuclear

linkSaiba mais sobre o TNP

linkO que está em jogo no encontro

 

"Nesta segunda, a Ucrânia anunciou uma decisão histórica para se livrar de todo seu estoque de urânio enriquecido perto da próxima cúpula de segurança nuclear, em 2012", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs. Nesta segunda, começa a cúpula sobre o Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) convocada pelo presidente dos EUA, Barack Obama.

 

"Isso é algo que os EUA tem tentado fazer nos últimos 10 anos. O material é o suficiente para construir uma quantidade considerável de armas nucleares", disse o porta-voz do governo americano. A decisão foi tomada durante o encontro de Obama com o presidente ucraniano, Viktor Yanukovych.

 

A proposta ucraniana se adequa aos pedidos de Obama feitos há pouco mais de um ano, em Praga. Na ocasião, o presidente americano pediu que todo o material que pudesse ser usado na fabricação de armas nucleares fosse posto em segurança no período máximo de quatro anos.

 

Essa foi a primeira consequência da reunião convocada pelo presidente americano para estas segunda e terça-feira. Líderes de 47 países participam do encontro para discutir medidas sobre como impedir que terroristas consigam acesso a armas nucleares, embora temas como o programa nuclear norte-coreano e a aplicação de novas sanções ao Irã devam ser discutidas.

 

O primeiro dia do encontro será dedicado a reuniões bilaterais, como a realizada entre EUA e Ucrânia, das quais devem sair acordos de cooperação. Na terça-feira, porém, haverá uma cúpula geral entre todos os representantes presentes. Irã e Coreia do Norte, porém, não foram convidados para a conferência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.