Ucrânia vai impor sanções a empresas e cidadãos russos, diz premiê

Governo ucraniano e o Ocidente acusam a Rússia de apoiar rebeldes separatistas no leste do país

REUTERS

23 de julho de 2014 | 08h57

O primeiro-ministro ucraniano, Arseny Yatseniuk, disse nesta quarta-feira que o governo vai impor sanções a companhias e cidadãos russos que direta ou indiretamente apoiarem “terroristas" que lutam contra tropas do governo no leste do país.

Yatseniuk disse em reunião de ministros que ele já havia estabelecido um comitê especial para trabalhar sobre as medidas punitivas.

“Eu instruo o comitê a propor, para consideração do governo, uma lista de sanções individuais e setoriais sobre cidadãos e entidades jurídicas russas que apoiam e financiam o terrorismo na Ucrânia, em 10 dias”, disse ele.

O premiê não deu detalhes de quais sanções poderia adotar.

O governo central Ucraniano e o Ocidente acusam a Rússia de apoiar rebeldes separatistas no leste da Ucrânia, uma acusação negada por Moscou. Os Estados Unidos e a União Europeia impuseram uma rodada de sanções contra companhias e cidadãos russos por causa da crise na Ucrânia.

No Ocidente alguns políticos pedem sanções mais duras à Rússia após um avião da Malásia ter sido derrubado em território rebelde no leste da Ucrânia na quinta-feira, matando as 298 pessoas a bordo.

(Por Natalia Zinets)

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIASANCOESRUSSOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.