UE ampliará e prorrogará operações contra a pirataria

Bloco estenderá raio de ação às Ilhas Seychelles e deve aumentar número de militares envolvidos

Da Redação, estadao.com.br, com agências internacionais

18 de maio de 2009 | 12h57

Os ministros da defesa dos países componentes da União Europeia(UE) decidiram por unanimidade nesta segunda-feira, 18, que o bloco ampliará suas ações contra a pirataria para além da costa da Somália, onde piratas têm atacado navios mercantes com frequência. A chamada Operação Atalanta será estendida às Ilhas Seychelles, alvo mais recente de ataques, será prorrogada até dezembro deste ano e deverá receber mais apoio marítimo e aéreo.

 

Segundo os cálculos do secretário francês de Defesa, Jean Marie Bockel, as forças de combate à pirataria devem ser ampliadas em torno de 20%, o que corresponde a 1,5 mil militares efetivos, dois aviões de patrulha, dois petroleiros e onze navios de combate. O número de efetivos adicionais que participarão das operações até as Ilhas Seychelles, entretanto, serão decididos em reuniões técnicas.

 

O ministro da Defesa da Alemanha, Franz Josef Jung, disse que a ampliação das ações são necessárias por conta do deslocamento dos piratas. "Vemos que os piratas estão estendendo suas atividades, então as áreas próximas às Ilhas Seychelles devem ser incluídas na operação", declarou.

 

Segundo a ministra de Defesa da Espanha, Carme Chacón, o êxito da operação na Somália fez com que os piratas mudassem o local dos ataques, passando a atuar mais ao Sul, onde pesqueiros são alvos frequentes.

 

A ministra também assegurou que novos países planejam participar das ações do bloco. "Muitos países falaram de novas contribuições e de entrar com participações", desse sem dar maiores detalhes. Atualmente, participam das missões dez países (Espanha, Grécia, França, Bélgica, Suécia, Holanda, Noruega, Alemanha, Itália e Reino

Unido).

 

Os ministros também fizeram um apelo à comunidade internacional, pedindo um maior apoio ao governo em transição na Somália, cujo poder fora da capital, Mogadíscio, é quase nulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.