UE apóia criação de banco de dados de passageiros de avião

Ministros respaldam proposta e afirmam que medida é eficiente contra o terrorismo e o crime organizado

Efe,

25 de janeiro de 2008 | 14h20

A proposta para criar um sistema de registro de dados de passageiros que chegam à União Européia por avião recebeu o respaldo unânime dos ministros de Justiça e Interior do bloco nesta sexta-feira, 25. Os ministros concordaram em que o sistema "é necessário para lutar de forma eficiente contra o terrorismo e o crime organizado", afirmou o titular do Interior da Eslovênia, Dragutin Mate, em nome da Presidência da UE.   "Nenhum ministro colocou reservas ou dúvidas sobre a utilidade" do mecanismo, explicou o comissário europeu de Justiça, Segurança e Liberdade, Franco Frattini.   Durante debate informal sobre a proposta da Comissão Européia, a idéia recebeu apoio unânime para que o Parlamento Europeu e o Supervisor de Proteção de Dados da UE participem do processo, a fim de assegurar "o equilíbrio adequado" entre a necessidade de garantir a segurança e de proteger os direitos e liberdades fundamentais, acrescentou Frattini.   O comissário anunciou que apresentará em fevereiro três novas propostas para aumentar a segurança das fronteiras externas da UE, uma das quais será a criação de um banco eletrônico de entradas e saídas de cidadãos extracomunitários.   Também proporá a possibilidade de mudar a Frontex, a agência de controle de fronteiras, e a instauração de uma autorização eletrônica de viagem, que seria necessária para embarcar em aviões com destino aos países-membros da UE.

Tudo o que sabemos sobre:
imigraçãoUnião Européia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.