UE considera ampliar restrição a capital para empresas russas

A União Europeia está considerando ampliar uma sanção para proibir que todas as empresas estatais russas, em vez de apenas bancos ligados ao governo, peguem empréstimo ou levantem capital na Europa, além de buscar impedir que o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, entre na UE, disseram diplomatas.

REUTERS

02 de setembro de 2014 | 11h06

As propostas foram apresentadas durante uma reunião de embaixadores da União Europeia em Bruxelas, na segunda-feira. 

A Comissão Europeia deve preparar na quarta-feira um plano final sobre novas sanções contra Moscou por conta da invasão da Ucrânia, e governos da UE tomarão uma decisão sobre a forma final do pacote até sexta-feira. 

A Comissão Europeia também propôs um encurtamento da maturidade mínima de instrumentos de dívida detidos por bancos russos -que não podem ser vendidos na UE sob uma decisão tomada em julho- para 30 dias, antes dos 90 dias anteriormente determinados. 

A UE também considera impor uma suspensão sobre a compra de instrumentos de derivativos russos. 

Outras ideias apresentadas na segunda-feira incluíram uma expansão da proibição sobre bens que podem ser tanto de uso civil quanto militar para todos os potenciais importadores russos, não apenas companhias do setor de defesa, conforme concordado no pacote de sanções imposto pela UE em julho.

Mais conteúdo sobre:
RUSSIAUESANCOESCAPITAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.