UE descarta estender empréstimo de resgate à Grécia

A União Europeia descartou na terça-feira a possibilidade de ampliar o prazo do empréstimo de emergência feito à Grécia, dizendo que o tema não estava em discussão.

REUTERS

12 de outubro de 2010 | 11h38

A Comissão Europeia, o braço executivo da UE, disse que a Grécia deveria ser capaz de obter financiamento nos mercados de capital a partir de 2012, quando está previsto o final de um programa de resgate da UE e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

"Não hã nenhuma discussão corrente entre as partes interessadas sobre uma eventualidade desse tipo", disse o porta-voz da comissão, Amadeu Altafaj, sobre uma possível extensão dos programas de empréstimos.

A UE e o FMI chegaram a um acordo sobre um plano de resgate de 110 bilhões de euros (153 bilhões de dólares) para a Grécia em maio, depois que seu gigante déficit colocou a zona do euro à beira de uma crise de dívida soberana.

O FMI disse no domingo que os empréstimos de resgate para a Grécia poderiam ser ampliados o substituídos se persistissem os temores pelo refinanciamento do país nos mercados, mas assegurou que não havia planos concretos atualmente para isso.

Sob o programa vigente, a Grécia pode obter empréstimos até 2012.

A Alemanha manifestou na terça-feira sua oposição para estender o período de devolução dos empréstimos emitidos para a Grécia, já que o país não está encontrando problemas para obter créditos nos mercados de capital.

Os comentários da Alemanha se deram depois que o ministro das Finanças grego, George Papaconstantinou, disse na segunda-feira numa entrevista televisiva que a Atenas estava discutindo prolongar o período para pagar os créditos recebidos.

Tudo o que sabemos sobre:
UEGRECIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.