Stringer/Reuters
Stringer/Reuters

UE elogia Sérvia após pedido de desculpas por Massacre de Srebrenica

Bloco pede que país entregue criminosos da Guerra da Bósnia ao tribunal de Haia

estadao.com.br

31 de março de 2010 | 13h17

BRUXELAS - A chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Catherine Ashton, elogiou nesta quarta-feira, 31, o pedido de desculpas formal emitido pelo Parlamento da Sérvia sobre o Massacre de Srebrenica, quando tropas da antiga Iugoslávia mataram 8 mil muçulmanos em um vilarejo durante a Guerra da Bósnia.

Segundo Ashton, a medida é uma medida chave para a reconciliação nos Bálcãs. "É um passo importante para o país. É hora de enfrentar o passado. É um processo difícil, mas essencial para a sociedade sérvia", afirmou em comunicado.

A UE também pediram a colaboração da Sérvia em cooperar plenamente com o Tribunal Penal Internacional (TPI) e entregar os últimos acusados de crimes de Guerra durante a desintegração da Iugoslávia nos anos 90. Entre eles está Ratko Mladic, ex-general acusado de comandar o massacre de Srebrenica.

"São elementos cruciais para a estabilidade e a reconciliação da região e para o ingresso da Sérvia na UE", acrescenta o texto.

O Massacre de Srebrenica aconteceu em julho de 1995, no final da Guerra da Bósnia (1992-1995), quando tropas servo-bósnias ocuparam a cidade e mataram 8 mil muçulmanos.

No final da noite de terça-feira, o Parlamento sérvio aprovou um pedido formal de desculpas pelo massacre, embora sem caracterizá-lo de genocídio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.