UE endurece posição sobre oferta de matéria-prima

A União Europeia vai considerar a estocagem de matérias-primas, algo que possivelmente vai incluir terras raras, e vai confrontar qualquer país que restrinja oferta, segundo documento preliminar de estratégia da Comissão Europeia.

REUTERS

25 de janeiro de 2011 | 11h22

"A União Europeia vai continuar a denunciar barreiras que prejudicam a oferta sustentável de matérias-primas para a economia da UE", afirma o documento preliminar obtido pela Reuters nesta terça-feira. O texto deve alimentar análise estratégica do bloco de países que deve ser lançada antes de abril.

"A Comissão vai suspender, total ou parcialmente, do Sistema Geral de Preferências, países que aplicarem restrições não justificadas a matérias-primas", afirma o texto.

O órgão executivo da UE pretendia lançar na quarta-feira a estratégia junto com uma voltada para commodities alimentícias. Mas agora a entidade adiou o lançamento para resolver uma disputa sobre o papel da especulação de commodities sobre os preços de alimentos.

O documento dá um sinal sobre os planos da Comissão, mas um representante da UE afirmou que o texto pode sofrer mudanças ao longo das próximas semanas.

A estratégia inclui examinar se o bloco de países precisa fazer um programa de estocagem voltado para as matérias-primas mais críticas.

Um total de 14 materiais já estão listados pela Comissão, incluindo metais raros como germânio, que é usado em sistemas militares de fibra óptica e infravermelhos; e o gálio, usado em sistemas de iliminação por LED.

(Por Pete Harrinson e Charlie Dunmore)

Tudo o que sabemos sobre:
UEAMEACACOMMODS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.