UE expressa condolências e solidariedade à China após terremoto

Presidente da Comissão Européia oferece assistência ao governo chinês

EFE

14 de abril de 2010 | 08h27

BRUXELAS - O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e o do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, transmitiram hoje suas condolências à China pelas mortes provocadas pelo terremoto que atingiu a província de Qinghai e expressaram sua solidariedade às autoridades do país.

 

Veja também:

linkTremor mata 400 pessoas e fere pelo menos 10 mil na China  

link'É muito difícil salvar pessoas com as próprias mãos', diz soldado

link Em 2008, terremoto matou cerca de 90 mil pessoas na China

linkPapa pede solidariedade e expressa seu pesar pelo terremoto da China

especial Os piores terremotos desde 2000

 

"Estou profundamente impactado e triste pelas notícias que chegam sobre esse terremoto", assinalou Barroso em comunicado, no qual ofereceu ao Governo chinês assistência europeia para responder à catástrofe.

 

Barroso estendeu suas condolências às famílias das vítimas e aos habitantes da província ocidental de Qinghai.

 

Na mesma linha se expressou o polonês Jerzy Buzek em nome da Eurocâmara.

 

"Neste momento de grande dor nacional, quero enviar minhas condolências às famíias e amigos que perderam a vida neste desastre natural na China", assinalou em comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.