UE respalda projeto da União do Mediterrâneo

Proposta é aprovada com mudanças, como a inclusão dos 27 membros do bloco e países banhados pelo mar

Agências internacionais,

14 de março de 2008 | 10h20

Os chefes de Estado e governo europeus respaldaram na noite de quinta-feira, 13, o projeto da União para o Mediterrâneo proposto inicialmente pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, embora a sua formulação final tenha sofrido alterações drásticos para que agradasse todos os membros. Segundo o jornal El País, o projeto foi aprovado pelo 27 membros do grupo e visa reforçar a cooperação da União com os países do sul do Mediterrâneo, do Marrocos até a Turquia. A União para o Mediterrâneo tratará de dar novo impulso ao processo de cooperação entre os países da região, lançado em 1995 em Barcelona. O projeto é patrocinado pela França e a Alemanha e o seu financiamento ficará sob a responsabilidade dos fundos de cooperação já existentes na União Européia de outras fontes, incluindo a iniciativa privada. O projeto chega ao Conselho europeu depois de vários meses de negociações. A União para o Mediterrâneo será uma reunião anual entre todos os países europeus e os demais que são banhados pelo Mar Mediterrâneo. Apesar do projeto ser longe da proposta inicial francesa, que incluía apenas os governos na costa do mar e um banco, a chanceler alemã, Angela Merkel, justificou que a inclusão dos demais Estados da UE era necessária por o programa desviaria fundos comuns do bloco para o benefício de alguns países e suas colônias.  A França acredita que o projeto pode facilitar múltiplas iniciativas conjuntas, como a limpeza da contaminação do Mediterrâneo, combater os incêndios e a mudança climática.

Tudo o que sabemos sobre:
União para o Mediterrâneo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.