Um milhão de servidores públicos civis serão 'reavaliados' na Ucrânia

O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseny Yatseniuk, disse nesta quarta-feira que um milhão de servidores públicos, incluindo alguns com cargos no governo, terão sua lealdade avaliada sob uma nova legislação para eliminar práticas corruptas deixadas pela administração anterior, cujo presidente foi forçado a deixar o poder.

REUTERS

17 de setembro de 2014 | 09h29

“Segundo nosso cálculo, um milhão de servidores públicos de diferentes perfis serão submetidos a esta lei, incluindo todo o gabinete de ministros, o Ministério do Interior, serviços de inteligência, o gabinete da promotoria”, disse Yatseniuk em uma reunião de governo.

“Todas as seções do poder central que trabalharam na época do presidente Viktor Yanukovich serão submetidos a esta lei”, afirmou.

Uma nova lei de expurgo dos cargos de poder foi aprovada pelo Parlamento na terça-feira sob forte pressão de grupos lobistas representantes dos manifestantes que derrubaram Yanukovich em fevereiro após meses de inquietação popular.

(Por Richard Balmforth)

Mais conteúdo sobre:
UCRANIASERVIDORESGOVERNO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.