'Ursinho Maomé' faz Reino Unido convocar embaixador sudanês

Secretário de Relações Exteriores David Miliband pedirá explicação sobre indiciamento de professora

Associated Press,

28 de novembro de 2007 | 19h04

O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, David Miliband, convocou com urgência o embaixador sudanês em Londres para que ele dê explicações sobre a abertura de um processo contra uma professora britânica cujos alunos apelidaram um ursinho de pelúcia com o nome do profeta Maomé.  A professora Gillian Gibbons trabalha no Sudão, país de maioria muçulmana. Para os seguidores desta religião, qualquer representação do profeta Maomé é uma blasfêmia. Gillian foi presa depois que os pais de seus alunos a denunciaram. Segundo professores da escola, a professora havia pedido aos seus alunos que escolhessem seu nome favorito para o urso, e 20 dos 23 alunos votaram por "Maomé".  Nesta terça-feira, a imprensa estatal sudanesa anunciou que a professora será processada por insultar o Islã, incitar o ódio e mostrar desrespeitos a crenças religiosas. Caso seja condenada, Gillian receberá uma pena de 40 chibatadas, uma multa ou um ano de prisão. De acordo com um porta-voz do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, o secretário de Relações Exteriores do país irá pedir explicações sobre as acusações ao embaixador sudanês. Segundo a Secretaria de Exterior, o encontro entre Miliband e Omer Mohammed Ahmed acontecerá o mais rápido possível. "Estamos surpresos e desapontados por esta situação e o secretário convocará o embaixador sudanês em caráter de urgência para discutir o prosseguimento do caso", disse o porta-voz.  Ainda de acordo com ele, Miliband deve perguntar "qual é a razão por trás do indiciamento e quais serão os próximos passos" na disputa. "Nós daremos nossa resposta à luz dessas explicações", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
MaoméUrsinhoReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.