Vaticano ameaça excomungar mulheres no clero

O Vaticano emitiu naquinta-feira o seu decreto mais incisivo até agora contra aordenação de mulheres no clero, impondo a excomunhão automáticapara elas e para bispos que queiram consagrá-las. O decreto da Congregação para a Doutrina da Fé foipublicado pelo L'Osservatore Romano, diário oficial da Igreja,e entra em vigor imediatamente. Os excomungados ficam proibidos de receber os sacramentosou de fazer a comunhão no culto público. O reverendo Tom Reese, pesquisador do Centro TeológicoWoodstock, da Universidade Georgetown (EUA), disse que odecreto deve servir de alerta para o crescente número decatólicos favoráveis à ordenação de mulheres no clero. "Acho que eles perceberam que há cada vez mais apoio entreos católicos pela ordenação de mulheres, e eles querem deixarclaro que de jeito nenhum", disse Reese. A Igreja vincula a exclusão das mulheres ao fato de Jesussó ter escolhido homens como apóstolos. Críticos dizem queJesus apenas seguiu as normas sociais do seu tempo, e citamcartas do apóstolo Paulo, que estão entre os primeiros textosdo Cristianismo, para provar que as mulheres tinham um papelimportante nos primórdios da Igreja. Raramente há tentativas de ordenar mulheres. Neste ano, oarcebispo de Saint Louis (EUA) excomungou três mulheres quehaviam sido declaradas sacerdotisas em sua arquidiocese. Normalmente, a excomunhão se dá em caráter "ferendaesententiae" (como punição). Mas algumas ofensas, como aheresia, o cisma e agressões ao papa, se dão "lataesententiae", ou seja, automaticamente. É este o caso citado nodecreto de quinta-feira. Em 2006, o arcebispo africano Emmanuel Milingo foiexcomungado "latae sententiae" por ter ordenado quatro homenscasados como bispos. Milingo já havia provocado polêmica mundial em 2001 ao secasar sob as bênçãos da Igreja da Unificação, do reverendosul-coreano Sun Myung Moon. A Igreja Católica jamais reconheceuesse matrimônio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.