Vencedores do prêmio Nobel serão anunciados na segunda-feira

Al Gore e Evo Morales estão entre os 181 candidatos ao Nobel da Paz, divulgado em dezembro

Efe

06 de outubro de 2007 | 17h04

Os vencedores do prêmio Nobel, criado pelo magnata sueco Alfred Nobel, em 1901, para prestigiar as pessoas ou instituições que se destacaram por sua contribuição à humanidade, serão divulgados na próxima segunda-feira, 8. Os comitês do instituto enviam convites a membros de academias, universidades, professores, cientistas, parlamentares e agraciados com o Nobel para que proponham candidatos. Em seguida, são avaliados os méritos dos nomes pré-selecionados. O comitê elege um vencedor ou os vencedores, pois até três pessoas podem compartilhar o prêmio. Todos os escolhidos recebem um diploma, uma medalha de ouro e uma premiação financeira de cerca de 10 milhões de coroas suecas (US$ 1,5 milhão). O Nobel da Paz será anunciado somente no dia 10 de dezembro, em Oslo, na Noruega. Os demais prêmios serão concedidos no mesmo dia pelo rei da Suécia, em Estocolmo. A Fundação Nobel confirmou 181 candidatos ao Prêmio Nobel da Paz - 47 organizações e 131 indivíduos -, sem revelar suas identidades. No entanto, sabe-se que entre eles estão o ex-vice-presidente americano Al Gore (apontado como favorito); o presidente da Bolívia, Evo Morales; o ex-chanceler alemão Helmut Kohl e o monge budista vietnamita Thich Quang Do. Ao longo da história, foram premiados 766 indivíduos - sendo 33 mulheres - e 19 organizações, alguns em várias ocasiões, como o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que recebeu três vezes o Nobel da Paz (1917, 1944, 1963), e cujo fundador, Henry Dunant, também foi agraciado com o mesmo prêmio em 1901. Apenas uma pessoa conquistou o Nobel mais de uma vez sem compartilhá-lo com outra: o bioquímico americano Linus Pauling, premiado com o de Química (1954) e o da Paz (1962). Houve dois casos de rejeição: Jean-Paul Sartre, que recusou o de Literatura em 1964, por seu desprezo às distinções oficiais, e Le Duc Tho, premiado junto ao secretário de Estado americano Henry Kissinger em 1973 com o Nobel da Paz, por conseguir um acordo que acabou com a Guerra do Vietnã e que se amparou na situação de seu país. A Fundação Nobel assinou um acordo com o Google para lançar seu próprio canal no site de compartilhamento de vídeos YouTube, onde disponibilizará trechos de conferências e entrevistas com os vencedores.

Tudo o que sabemos sobre:
prêmionobelpazal gore

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.