Veterano da guerra dos Bálcãs mata 13 parentes e vizinhos em aldeia sérvia

Um veterano da guerra dos Balcãs, na década de 1990, matou 13 pessoas, incluindo sua mãe, o filho e uma criança de 2 anos de idade, durante a madrugada desta terça-feira, em uma pequena aldeia no centro da Sérvia, disseram autoridades.

Reuters

09 de abril de 2013 | 14h05

O homem, identificado pela polícia como Ljubisa Bogdanovic, também atirou em sua esposa antes de virar a arma contra si mesmo. Ambos estavam em estado crítico no hospital, disse a polícia.

"A maioria das vítimas foi baleada na cabeça enquanto dormia", afirmou o chefe de polícia Milorad Veljovic a repórteres no local em Velika Ivanca, a cerca de 40 quilômetros a sudoeste de Belgrado.

Ele disse que as vítimas eram parentes e vizinhos do homem: seis homens, seis mulheres e uma criança, em cinco casas.

"Nós nunca tivemos uma tragédia desse tipo na Sérvia e nós temos que descobrir o que levou este homem a matar tantas pessoas enquanto dormiam", disse Veljovic. O governo convocou uma sessão de gabinete.

O motivo para os assassinatos, realizado com uma pistola semiautomática 9 mm logo após a meia-noite (horário de Brasília), não era conhecida.

Veljovic disse que Bogdanovic, nascido em 1953, lutou na guerra de 1991-95 na Croácia durante o colapso da Iugoslávia, e tinha autorização de porte de arma de fogo. Ele e seu filho haviam perdido seus empregos em uma empresa eslovena na Sérvia no ano passado.

Relatos da mídia sérvia apontaram que o pai do homem e o tio tinham cometido suicídio há alguns anos.

A polícia disse que Bogdanovic virou a arma contra si mesmo depois de ver um carro de patrulha da polícia se aproximar da aldeia.

Tudo o que sabemos sobre:
SERVIAVETERANOMORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.