Tony Gentile/Reuters
Tony Gentile/Reuters

'Vou mostrar aos italianos do que sou feito', diz Berlusconi

Premiê italiano perdeu sua imunidade e terá que enfrentar acusações de corrupção e fraude tributária

Associated Pres,

08 de outubro de 2009 | 11h30

O premiê italiano Silvio Berlusconi disse que irá à TV e aos tribunais para provar que as acusações de corrupção e fraude tributária contra ele são falsas.

 

Veja também:

link Tribunal anula imunidade penal de premiê

link Berlusconi chama juízes de 'esquerdistas'

 

Ele também desafiou os tribunais que retomarão os julgamentos dos dois processos, após uma lei aprovada em 2008 que garantia imunidade a ele ter sido revogada nesta quarta-feira, 7, pelo Tribunal Constitucional da Itália.

 

"Essas duas cortes são risíveis, são uma farsa que eu irei revelar aos italianos indo à TV", disse. "Me defenderei nos tribunais e levarei meus acusadores ao ridículo. Vou mostrar aos italianos do que eu sou feito", afirmou.

 

Berlusconi afastou a possibilidade de renunciar e seus aliados conservadores, que têm uma maioria confortável no parlamento, declararam seu apoio imediatamente.

 

"Continuaremos a governar sem esta lei", disse o premiê na rádio estatal. Ele acrescentou que se sentia "absolutamente necessário e indispensável para a democracia, a liberdade e o bem-estar do país".

 

Berlusconi, 73, ainda é bastante popular na Itália, apesar das acusações de sua mulher de que ele teve relações inapropriadas com moças muito mais jovens e da acusação de uma prostituta que teria passado uma noite com ele. O escândalo estourou após sua mulher anunciar que iria se divorciar.

 

Berlusconi disse que não é "um santo", mas negou ter pago por sexo ou tido relações inapropriadas.

 

A lei de imunidade protegia os quatro maiores cargos do governo - o premiê, o presidente e dois representantes do parlamento - de serem processados enquanto estivessem exercendo o mandato.

 

Ela foi aprovada pela coalizão de Berlusconi em 2008, logo após o premiê enfrentar julgamentos em Milão por corrupção e fraude tributária relacionados ao seu império de comunicações Mediaset.

 

Os processos foram suspensos com a aprovação de lei, mas o Tribunal Constitucional decidiu que a imunidade de Berlusconi violava o princípio de que todos eram iguais perante a lei, abrindo caminho para a retomada dos julgamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
berlusconiimunidadeMediaset

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.