Zapatero não consegue maioria no Congresso e adia posse

Presidente espanhol enfrenta nova votação na sexta; líder socialista precisará de maioria simples para assumir

Efe,

09 de abril de 2008 | 08h48

O socialista José Luis Rodríguez Zapatero não conseguiu a maioria absoluta necessária para ser tomar posse como presidente do governo espanhol por um segundo mandato, ao obter 168 votos a favor, 158 contra e 23 abstenções dos 350 deputados, por isso precisará se submeter à uma segunda votação na próxima sexta-feira.   Zapatero recebeu o respaldo do grupo socialista, que possui 169 cadeiras, mas recebeu um voto a menos da bancada por conta da ausência de um parlamentar. Votaram contra os três representantes dos independentistas da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) e Rosa Díez, que estréia no Parlamento como a única deputada do novo partido União, Progresso e Democracia (UPD). Os outros grupos minoritários, incluídos os nacionalistas catalães da Convergência e União (CiU) e o Partido Nacionalista Basco, terceira e quarta força parlamentares, se abstiveram.   O presidente do Congresso, José Bono, convocou a próxima votação para a sexta, quando o atual presidente só precisará do apoio de uma maioria simples para ser novamente designado chefe do Executivo. Zapatero adiantou ainda que anunciará a composição de seu governo no próximo sábado.   Esta é a primeira vez que um candidato à Presidência do governo espanhol, cujo partido ganhou as eleições, não é designado no Parlamento por maioria absoluta, 176 votos dos 350 deputados que formam a Câmara Baixa.   Na segunda-feira, Zapatero apresentou um programa com medidas para frear a desaceleração econômica e uma estratégia pactuada por todos os partidos para fazer frente à organização separatista basca ETA. var keywords = "";

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaJosé Luis Rodríguez Zapatero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.