Zapatero pede que não se politize decisão sobre tourada

O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, pediu nesta sexta-feira que não se politize a decisão do Parlamento da Catalunha de proibir touradas em toda a comunidade, apesar de dizer que preferiria que a proibição tivesse sido evitada.

REUTERS

30 de julho de 2010 | 14h28

"Pode se discordar dessa decisão, mas não se deve politizar", disse Zapatero em coletiva de imprensa, na primeira avaliação de uma votação que causou revolta política e social no país.

"Preferíamos que não houvesse iniciativas de proibição (...) mas não vamos (o governo) entrar em um debate que só tem uma resposta: as comunidades autônomas têm capacidade para regular os espetáculos públicos", disse.

O primeiro-ministro se referia à iniciativa do Partido Popular, de oposição, que na quinta-feira apresentou uma moção na Câmara de Deputados para buscar a proteção da tourada em todo o território nacional.

O PP quer que o Ministério da Cultura declare a tourada como um bem cultural e também pedirá ao governo de Zapatero que inicie as ações para conseguir uma declaração da Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

(Reportagem de Itziar Reinlein)

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHAZAPATEROTOURADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.