1,3 milhão de civis deixou área de combate, diz Paquistão

Exército endurece ofensiva e afirma que mandou soldados para reduto taleban com 4 mil insurgentes

Associated Press e Efe,

12 de maio de 2009 | 11h28

O Exército paquistanês afirmou nesta terça-feira, 12, estimar que cerca de 1,3 milhão de pessoas fugiram das zonas de combate no nordeste do país desde agosto do ano passado, segundo relatou o brigadeiro Aamer Raza Qureshi. A ONU afirmou em comunicado que registrou 501,496 mil deslocados desde o endurecimento da ofensiva, no início de maio. Os militares pediram para que a população saia dos distritos do norte do país onde estão combatendo a insurgência taleban

 

Apesar dos "sucessos consideráveis" obtidos até agora pelo Exército, seu porta-voz, Athar Abbas, disse que "só se conseguirá realmente acabar com os militantes quando a maioria dos cidadãos tiver saído da zona de conflito". Em entrevista coletiva em Islamabad, televisionada ao vivo pelos canais paquistaneses, Abbas disse que as tropas "só" estão bombardeando "os esconderijos, campos de treinamento e centros de munição e logística" dos fundamentalistas quando há "informação de inteligência".

 

O porta-voz militar negou que o Exército tenha causado vítimas civis, reiterou que as tropas estão agindo com cautela e evitando o confronto em grandes núcleos urbanos, e prometeu divulgar em breve à imprensa imagens e vídeos de cadáveres de insurgentes. A ausência de jornalistas e organismos independentes nas áreas de conflito torna impossível contrastar os números oferecidos regularmente pelo comando militar.

 

Abbas informou também que helicópteros do Exército transportaram soldados até uma zona considerada reduto do líder taleban local, o mulá Fazlullah, no Vale de Swat. "Tropas transportadas por helicópteros aterrissaram em Peochar. Têm a missão de realizar operações de rastreamento e destruição", disse, em referência a uma zona escassamente povoada e sob controle taleban situada no norte do distrito. Autoridades disseram que a região está guardada por um grupo de 4 mil militantes.

 

O Exército paquistanês lançou uma ofensiva logo após insurgentes no Vale do Swat se aproveitarem de um acordo de paz para impor controle sobre áreas vizinhas, entre elas uma faixa situada apenas a 100 quilômetros da capital, Islamabad.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoEUATaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.