1,4 milhão de sírios recorrem a ajuda alimentar da ONU

Um número cada vez maior de sírios depende do Programa Mundial de Alimentação (PMA) da Organização das Nações Unidas (ONU) para sobreviver. Ao todo, a ajuda alimentar da ONU alcançou em setembro 1,4 milhão de pessoas em diferentes parte da Síria, informou a ONU em Genebra.

AE, Agência Estado

16 de outubro de 2012 | 12h49

Apesar da cifra, funcionários do PMA advertiram que os voluntários do programa não conseguem ajudar a todos os necessitados por causa da guerra civil que assola o país, motivo pelo qual acredita-se que o número seja ainda maior.

"Existem algumas áreas às quais ninguém pode chegar", disse Elisabeth Byrs, porta-voz do PMA, em Genebra. Os colaboradores do PMA incluem o Crescente Vermelho local, organizações não-governamentais (ONGs) e outros grupos sírios. Entre as áreas às quais eles não conseguem chegar incluem-se partes das cidades de Homs e Alepo e a zona rural de Damasco.

Byrs informou ainda que o PMA pretende ampliar a distribuição de alimentos para atender a 460.000 refugiados sírios até o fim de 2012.

Observadores calculam que a guerra civil na Síria, iniciada há 19 meses, já tenha matado mais de 33.000 pessoas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUSíriafome

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.