Reuters
Reuters

1º foguete sul-coreano falha em colocar satélite em órbita

Apesar do lançamento bem sucedido, foguete ultrapassou altitude e não atinge rota planejada

25 de agosto de 2009 | 07h37

A Coreia do Sul realizou nesta terça-feira, 25, seu primeiro lançamento de um foguete espacial, seis dias depois de uma tentativa anterior ter sido suspensa nos últimos minutos por causa de uma falha num software. O lançamento foi feito poucos meses depois do rival norte-coreano provocar tensão entre a comunidade internacional por realizar a sua própria missão, no que os países suspeitam que tenha sido um novo teste balístico.

 

Veja também:

video Assista ao lançamento no YouTube

 

Imagens de TV mostraram o primeiro estágio do Veículo-1 de Lançamento Espacial da Coreia separando-se do segundo estágio, menos de cinco minutos após o lançamento do foguete. O satélite, de cem quilos, foi lançado às 17h (5h de Brasília). Inicialmente, os técnicos espaciais disseram que o instrumento tinha atingido a órbita planejada.

Depois, no entanto, o ministro da Educação, Ahn Byong-man, disse que, apesar de o foguete ter funcionado corretamente, o satélite atingiu 360 quilômetros de altitude, mais que os 302 quilômetros previstos."Neste momento, os resultados das análises mostram que o satélite científico não atingiu a órbita planejada", afirmou Ahn."Todos os aspectos do lançamento foram normais, mas o satélite ultrapassou a órbita prevista e atingiu uma altitude de 360 quilômetros", explicou.

Cientistas da agência espacial sul-coreana, a Kari, já tinham alertado para o fato de que, de modo geral, só 30% dos satélites lançados de foguetes novos conseguem entrar em órbita. Para os especialistas da Kari, porém, o lançamento foi "mais ou menos bem-sucedido", já que o foguete funcionou sem problemas, destacou a Yonhap.

 

O lançamento ocorreu em Goheung, no litoral sul da Coreia do Sul. O projeto para por em órbita um satélite da Coreia do Sul, operado em parceira com a Rússia, havia sido adiado várias vezes nos últimos anos. A Coreia do Sul se tornou o 10º país a enviar um satélite doméstico a partir de seu próprio solo.

 

O trajeto do veículo espacial foi acompanhado pelo olhar atento dos cientistas da agência espacial sul-coreana (Kari), por especialistas russos e pelo primeiro-ministro Han Seung-soo.

 

Apesar dos contínuos atrasos, o último na quarta-feira passada a menos de oito minutos de acionar os propulsores, a Coreia do Sul conseguiu iniciar sua corrida espacial sem que se tenha detectado problemas durante os primeiros momentos da missão. Segundo Lee Joo-jin, presidente da Kari, o sucesso do lançamento ajudará a Coreia do Sul a se tornar independente em matéria aeroespacial e contribuirá para o desenvolvimento de tecnologias de vanguarda.

 

O lançamento, motivo de orgulho nacional e seguido por milhares de pessoas das praias próximas, procura o reconhecimento internacional e o início de um programa espacial inteiramente sul-coreano. Apesar de a Coreia do Sul já ter lançado 11 satélites próprios, é a primeira vez que o faz com um foguete desenvolvido por seus cientistas, ainda que com ajuda russa. A Coreia do Sul investiu 284 milhões de euros em seu primeiro foguete espacial e cerca de 200 milhões de euros no centro espacial de onde se realizou o lançamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.