10 mil protestam no Afeganistão contra queima do Alcorão

Manifestantes atearam fogo em lojas e postos policiais; não há registro de feridos

AE-AP, Agência Estado

11 de setembro de 2010 | 09h32

Milhares de pessoas protestaram no oeste do Afeganistão neste sábado, pelo segundo dia consecutivo, contra a ameaça do pastor norte-americano Terry Jones de queimar o Alcorão, gritando "morte à América". Os manifestantes também atearam fogo em lojas e postos policiais, disseram oficiais da polícia.

Veja também:

blog Gustavo Chacra: Bastidores da cidade de Terry Jones

mais imagens Galeria de fotos: Muçulmanos protestam contra queima do Alcorão

especial Linha do tempo: Principais atentados desde o 11/09

O porta-voz do governador da província de Logar, Din Mohammad Darwish, disse que a polícia atirou para o ar em advertência para evitar que os manifestantes entrassem na residência do governador. Segundo ele, não há registro de feridos. Ele disse que uma estrada que liga o Afeganistão ao Paquistão foi temporariamente bloqueada pelos manifestantes.

 

O vice-chefe da polícia da província, Nabi Charkhi, afirmou que mais de 10 mil pessoas participaram do protesto na capital da província, Puli Alam. Ontem, pelo menos 11 pessoas ficaram feridas em protesto semelhante no Afeganistão.

O pastor Terry Jones, que anunciou que queimaria o Alcorão no aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, viajou da Flórida para Nova York ontem. Seu filho disse que a queima do alcorão não ocorreria sábado, mas não revelou quando eventualmente ocorreria.

Tudo o que sabemos sobre:
AlcorãoprotestoAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.