100 camicases britânicos podem dar a vida pelo Islã

Richard Reid, o homem que nasemana passada queria fazer explodir um avião no vôo Paris-Miami levando uma bomba em seu sapato, não é um caso isolado: naGrã-Bretanha, há outros 100 "mártires do Islã" dispostos a darsua vida na jihad (guerra santa). Foi o que afirmou em entrevista à BBC Abdul Haqq Baker,o responsável por uma mesquita de Londres que Reid, atualmentedetido nos EUA, freqüentava desde que, após passar algum tempona prisão por delitos menores, se havia convertido à fémuçulmana. "Há uma centena de indivíduos que estariam dispostos,como Reid, a voar pelos ares", disse. Baker é presidente damesquita de Brixton, um dos bairros mais conflituosos da capitalbritânica, permanente cenário de tensões e desordens. A mesquita só é reconhecível por um cartaz colocado aolado da porta. Baker disse que Reid começou a freqüentá-la depois daconversão, para aprofundar seus conhecimentos do Islã. "O problema é que, de imediato, se ligou aos elementosmais radicais e extremistas", acrescentou Baker. Segundo odirigente religioso, Reid "passou a falar com freqüência danecessidade de uma rebelião nos países muçulmanos moderados, namedida em que estes não são autenticamente islâmicos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.