Carlos Barria/Reuters
Carlos Barria/Reuters

100 dias de governo: A primeira fase de Trump no poder em 10 tuítes

Presidente americano usa a rede social como principal meio de comunicação, por meio do qual faz diversos elogios a aliados e duras críticas a quem considera inimigo

O Estado de S.Paulo

28 Abril 2017 | 15h04

WASHINGTON - Desde que chegou à Casa Branca, o presidente americano, Donald Trump, utilizou sua conta no Twitter para expor sua visão sobre questões geopolíticas ou para responder às críticas de figuras como o ex-presidente Barack Obama ou o ator Arnold Schwarzenegger.

A rede social é o principal meio de comunicação utilizado pelo mandatário, que está próximo de atingir o marco simbólico de 100 dias no poder. Relembre abaixo alguns tuítes de Trump de maior repercussão.

EUA em primeiro lugar

"Seguiremos duas regras simples: comprem produtos americanos e contratem americanos."

- Slogan que marcou sua gestão a partir do dia da posse, em 20 de janeiro.

 

"Devemos manter o mal fora do nosso país."

- Em justificativa ao decreto migratório que fechava as portas dos EUA a imigrantes e refugiados de um grupo de países de maioria muçulmana.

 

"Em que o nosso país está se tornando quando um juiz pode suspender uma medida de segurança interna e qualquer pessoa, inclusive com más intenções, pode vir aos EUA?"

- Crítica ao bloqueio do decreto sobre imigrantes e refugiados pela Justiça.

 

Aliado ou inimigo

"A Coreia do Norte está se comportando realmente mal. Esteve brincando com os EUA durante anos. E a China ajudou muito pouco!"

- Em resposta às informações sobre a preparação de um teste nuclear norte-coreano.

 

"Por que deveria qualificar a China de manipuladora de moeda quando está trabalhando conosco para resolver a questão da Coreia do Norte? Veremos o que vai acontecer."

- Em aparente mudança de opinião sobre Pyongyang.

 

"A Alemanha deve enormes somas à Otan, e os EUA devem receber pagamentos pela defesa poderosa e altamente cara que fornece à Alemanha!"

- Mensagem direta à chanceler alemã, Angela Merkel, depois de um encontro frio entre os dois na Casa Branca.

 

Obama

"Terrível! Acabei de descobrir que Obama 'grampeou' as comunicações da Trump Tower pouco antes da vitória. Não encontraram nada. Isso é McCarthismo!"

- Ao acusar seu antecessor de espionagem contra sua equipe durante a campanha eleitoral.

 

"Não acreditem na imprensa (de informações falsas). A Casa Branca está funcionando muito bem. Herdei um caos e estou no processo de correção."

- Em defesa da sua própria gestão com apenas duas semanas no poder.

 

Notícias falsas

"A imprensa de notícias falsas (The New York Times, NBC News, ABC, CBS e CNN) não é minha inimiga, é inimiga dos americanos."

- Em uma declaração de guerra pública contra os meios de comunicação mais poderosos dos EUA.

 

Hasta la vista, baby

"Arnold Schwarzenegger não está deixando voluntariamente 'O Aprendiz'; está sendo demitido em razão de seus índices patéticos, não por mim. Triste fim para um grande show."

- Sobre a saída do ator do programa que o ex-presidente havia estrelado. Apesar de republicano, Schwarzenegger é um duro crítico de Trump. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Estados Unidos Donald Trump Casa Branca

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.