100 pessoas são resgatadas e 20 mortos após naufrágio

Os serviços de emergência egípcios resgataram 100 pessoas e recolheram os corpos de outras 20 após o naufrágio desta sexta-feira da embarcação "Salam 98" no Mar Vermelho, entre o Egito e a Arábia Saudita. Local onde ocorreu o naufrágioSegundo fontes policiais, a maioria das pessoas resgatadas estava nos botes salva-vidas e tem sintomas de esgotamento.A agência oficial egípcia Mena informou que o navio transportava 1.272 pessoas, das quais 1.158 eram egípcias e 99 sauditas.A embarcação fez um chamado de emergência na madrugada, que só foi recebido pelo Santa Katherina, uma balsa que fazia o mesmo trajeto mas em sentido contrário.Segundo a agência de notícias, o capitão do Santa Katherina recebeu um SOS do "Salam 98" dizendo que o navio tinha "risco de afundamento", mas não dá detalhes da atuação do navio após recebido o alarme.No entanto, acrescentou a fonte, nenhum dos postos de emergência situados no litoral recebeu o SOS do navio acidentado.As autoridades egípcias, que colocaram em alerta todos os hospitais da região, anunciaram a mobilização da Aeronáutica, Marinha e recursos disponíveis da Autoridade do Canal de Suez.Os serviços de resgate trabalham contra o relógio para tentar resgatar o maior número de sobreviventes possível, antes de chegar a noite.O "Salam 98", que devia ter chegado ao Egito após a meia-noite, afundou a 56 milhas marítimas (96 quilômetros) do porto de Hurgada, 400 quilômetros ao sudeste do Cairo.Os parentes das pessoas que viajavam no "Salam 98" começaram a chegar ao porto de Safaga e a outras áreas do litoral egípcio, acrescentaram responsáveis do serviço de emergência.O agente que cuida da embarcação na Arábia Saudita, Farid al-Douadi, disse que haviam cerva de 220 veículos à bordo e que o navio possuía a capacidade para comportar 2.500 passageiros.O ministro dos Transportes do Egito, Mohamad Mansur, disse que não se sabe, por enquanto, as causas que provocaram o afundamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.