1000 pacifistas são presos em São Francisco

Cerca de 1000 pacifistas foram presos em São Francisco ao final de uma jornada de protestos contra a guerra no Iraque. ?Algo similar aconteceu há 30 anos?, disse o chefe de polícia Allan Fagan relembrando as manifestações contra a guerra no Vietnã.Os ativistas pararam o trânsito nas principais vias da cidade e bloquearam as entradas do metrô na noite desta quinta-feira. Devido a paralisação, autoridades recomendaram que a população usasse as balsas da baia para se transportar. Um manifestante morreu ao se atirar da famosa ponte Golden State. A polícia investiga se se tratou de protestou ou somente suicídio.Em Washington, manifestantes gritaram em frente a Casa Branca ?não ao sangue por petróleo?. Cerca de 150 pessoas interromperam temporariamente o trânsito das pontes do rio Potomac. Outras 50 pessoas enfrentaram a gélida chuva para protestar. A polícia foi obrigada a impedir o acesso de pedestres para evitar distúrbios na sede do governo.Pela primeira vez, manifestações pró-guerra foram ouvidas no Mississipi. ?Apoiem os EUA ou mantenham a boca fechada?, gritavam cerca de 2 mil pessoas. Não há notícias de confrontos ou prisões no Estado.Na Filadélfia, os manifestantes fecharam os acessos às entradas dos prédios federais, no centro da cidade, obrigando a polícia a desviar o trânsito de veículos. Foram presas 107 pessoas.Em Nova York, 350 pessoas se encontraram no Times Square, embaixo de uma persistente chuva, para protestar. ?Estamos expressando como estão matando aos iraquianos sem nenhuma razão?, disse Rachel Klepner, de 14 anos.Veja o especial :

Agencia Estado,

21 de março de 2003 | 12h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.