11 de outubro. Americanos lembram amanhã um mês da tragédia

Com orações e velas, ao som de gaitas de fole e hinos patriótico, milhões de norte-americanos interromperão amanhã seus afazeres para lembrar o primeiro mês dos ataques terroristas de 11 de setembro. Os templos oferecerão serviços especiais, incluindo horas extras para confissões nas igrejas católicas. Milhares de restaurantes doarão parte de seus ganhos às famílias das vítimas. Muitas comunidades observarão momentos de silêncio e vigílias à luz de vela. "É difícil subtrair-se", disse Chuck Ruoff, vice-prefeito de Little Egg Harbor, em New Jersey, onde está planejada uma vigília vespertina. "Continuamos em estado semidepressivo. Levará tempo para nos recompormos". Está prevista a presença do presidente George W. Bush a uma cerimônia no Pentágono para render tributo às vítimas dos ataques e demonstrar apoio às tropas norte-americanas no Oriente Médio. Em Columbus, Ohio, vários policiais paralisarão suas patrulhas durante um minuto e tocarão as sirenes de seus veículos em homenagem aos policiais e bombeiros mortos em Nova York. Os sinos das igrejas e escolas também tocarão ao mesmo tempo em San Luis Obispo, Califórnia. No Monumento a Lincoln, em Washington, grupos de assistência às crianças patrocinarão um concerto e um ato em memória das vítimas para proclamarem seu apoio às crianças do mundo. Foram convidados para a cerimônia embaixadores de várias nações. Nas universidades, serão oferecidos serviços em capelas e simpósios sobre temas relacionados aos atentado. Na Universidade de Washington, as aulas serão suspensas para o que se anuncia como ?Dia da Reflexão?. Leia o especial

Agencia Estado,

10 Outubro 2001 | 17h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.