11 mineiros são resgatados com vida na Rússia

As equipes de socorro russas conseguiram encontrar hoje com vida 11 dos 13 mineiros presos havia quase uma semana na mina de Zapadnaya, na pequena localidade de Novoshakhtinsk, sul da Rússia. Um outro faleceu num acidente logo no primeiro dia e outro continua desaparecido, pois se separara dos demais para tentar buscar uma saída. Os mineiros foram resgatados depois de seis extenuantes dias de trabalho das equipes de resgate para a abertura de um túnel em meio à rocha sólida. As equipes de resgate chegaram aos homens na manhã de hoje, quando as brocas atingiram o local onde os mineiros buscaram refúgio depois de uma enchente em um lago subterrâneo. Ao entrarem no local, os socorristas encontraram uma nota presa em um duto de ventilação para indicar a direção na qual os sobreviventes seguiram, informou a emissora NTV. "Os rapazes pareciam bem para quem passou seis dias preso numa mina. Eles saíram sozinhos", comentou Alexander Smetalin, um dos socorristas. "Eles foram encontrados no setor norte da mina. Eles estavam todos deitados juntos por lá.? Vasily Karlov, um dos mineiros resgatados, relatou que a situação tornara-se desesperadora nas horas que antecederam o resgate. "Percebíamos a elevação do nível da água, havia pouco oxigênio e as pessoas não estavam passando bem", lembrou ele em seu leito de hospital. "Quando vimos nossos salvadores, era como a aparição de Jesus Cristo perante as pessoas", comparou Vasily Avdeyev, outro mineiro resgatado. "Não tínhamos mais nada para comer. Eu disse a todos os meus companheiros que um jejum de 20 dias não faria mal a ninguém e seria bom para a saúde", contou Avdeyev, que é o diretor da mina. Smetalin disse que os mineiros escalaram uma inclinação dentro da mina de Zapadnaya que os manteve acima do nível da água gelada. O mineiro desaparecido abandonou o grupo com a esperança de encontrar uma saída e as equipes de resgate continuam procurando por ele. Apesar da experiência traumática, a maior parte dos mineiros saiu andando depois de serem deslocados por cerca de três quilômetros no subsolo, disseram pessoas que participaram do resgate. O rosto dos sobreviventes estava encoberto por uma poeira preta. Depois que saíram, eles usaram cobertores para se proteger do frio. Enquanto saíam, familiares que aguardavam esperançosos pelo resgate começaram a gritar pelo nome de seus parentes. Médicos, policiais e socorristas cercavam os homens enquanto eles eram colocados em ambulâncias. Nikolai Lazaryev, tio de um dos sobreviventes, comentou que a espera foi sofrida para os parentes. "Não podíamos viver. Apenas existíamos." A maioria dos resgatados estava com o olhar disperso, mas um deles conseguiu sorrir para as câmeras dos cinegrafistas e fotógrafos. Enquanto o resgate era concluído com êxito no sul da Rússia, cinco mineiros morriam numa explosão ocorrida em uma mina da região de Primorye, extremo leste do país. Sessenta e seis pessoas foram resgatadas com vida depois da explosão ocorrida na cidade de Partizansk, disse Viktor Beltsov, porta-voz do Ministério de Situações Emergenciais da Rússia. A explosão foi causada pelo acúmulo de gás metano e atribuída a problemas nos procedimentos de segurança, informou a agência de notícias ITAR-Tass. Depois de receber as notícias sobre o resgate e a explosão ocorrida no extremo leste do país, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse durante reunião no Kremlin lamentar o fato de que os acidentes nas minas russas venham acontecendo de forma "sistemática". Os mineiros resgatados hoje estavam entre os 71 homens que trabalhavam a 800 metros do nível do solo na última quinta-feira quando ocorreu o transbordamento de um lago subterrâneo acima do local onde eles estavam. Vinte e cinco pessoas conseguiram escapar na hora e outras 33 foram resgatadas no sábado. As equipes de emergência perfuraram as rochas a partir de uma mina adjacente para chegar a um local onde os sobreviventes poderiam ter conseguido refúgio. Ao mesmo tempo, toneladas de pedras, terra e pilares de concreto eram utilizados para conter o alagamento. De acordo com a ITAR-Tass, esse foi o segundo acidente deste ano na mina, que foi inundada em fevereiro, mas não havia mineiros dentro no momento do incidente. Acidentes são comuns na indústria russa de mineração de carvão. Também não são raros os protestos de mineiros por atrasos nos pagamentos e problemas nos procedimentos de segurança. De acordo com o Sindicato Independente de Mineradores de Carvão da Rússia, 68 mineiros morreram durante o trabalho no ano passado. Em 2001, foram 98 mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.