13 condenações à prisão perpétua para palestino acusado de ataques

Um tribunal de Israel sentenciou nesta quarta-feira um notório ativista palestino, Ahmed Barghouti, a 13 penas de prisão perpétua por organizar ataques que mataram 12 israelenses. Barghouti, de 27 anos, foi condenado por 52 acusações, incluindo o envio de atacantes suicidas que lançaram ataques em Tel-Aviv e Jerusalém. Um tribunal militar de três membros disse que Barghouti ?conseguiu desencadear uma grande destruição?. ?Chegamos à conclusão de que a moral universal nos leva a responder a esses horrores aplicando um castigo merecido?, acrescentou o tribunal. O acusado era assistente de seu primo Marwan Barghouti, líder da intifada palestina que está sendo julgado por um tribunal civil israelense também por acusações de assassinato. Os dois foram presos juntos em abril de 2002 na cidade de Ramallah, na Cisjordânia.

Agencia Estado,

30 Julho 2003 | 11h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.