John Vizcaino/Reuters
John Vizcaino/Reuters

13 crianças da mesma família morreram no incêndio do ônibus na Colômbia

Polícia investiga se motorista abastecia veículo com combustível contrabandeado no momento do acidente

O Estado de S. Paulo,

20 Maio 2014 | 10h57

BOGOTÁ - Entre as 32 crianças mortas no incêndio de um ônibus na Colômbia, 13 faziam parte da mesma família, informou nesta terça-feira, 20, a imprensa local. No domingo 18, o veículo pegou fogo na cidade de Fundación, quando voltava de uma cerimônia religiosa.

Merly Castro afirmou à emissora RCN que 13 crianças da família dela, entre filhos, irmãos, sobrinhos e primos, estavam no ônibus. Outras 20 pessoas ficaram feridas no acidente.

Segundo a polícia, uma das linhas de investigação é a de que o motorista tentava abastecer o veículo com combustível contrabandeado no momento da explosão que causou o incêndio. Outra hipótese é falha técnica do ônibus.

O motorista se entregou depois que moradores de Fundación foram até sua casa na tentativa de agredi-lo e foi preso na segunda-feira.

O ônibus transportava 52 crianças, quantidade superior ao permitido, "não estava habilitado desde 2012" e "era um veículo ilegal que não tinha seguro de transporte", afirmou a ministra dos Transportes, Cacilia Álvarez, à rádio RCN. / EFE

 
Mais conteúdo sobre:
Colômbia Fundación acidente de ônibus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.