133 punhaladas e australiano é condenado por matar

Crime ocorreu após bebedeira e teve co-participação de outro homem que já cumpre pena perpétua

Efe

29 de julho de 2008 | 03h20

Um australiano foi condenado à prisão perpétua depois da Corte Suprema da Austrália o considerar culpado da morte de um adolescente em 2005. Ele deu 133 punhaladas e decapitou o jovem uma discussão quando estavam bêbados.   O tribunal culpou James Roughan, de 28 anos, de haver assassinado, junto a Christopher Jones (que já cumpre pena perpétua no cárcere) Morgan Shepherd, de 17 anos, informou a imprensa local.   Sheperd morreu em uma briga na casa de Roughand depois que os três terem bebido durante horas. Jones explicou a seus amigos que Roughan utilizou a cabeça do morto como um brinquedo e depois como uma bola.   Várias pessoas que testemunharam durante o julgamento afirmaram que os condenados gabaram-se de ter assassinado o adolescente.

Tudo o que sabemos sobre:
Austrália133 punhaladas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.