15 mortos, mais de mil casas destruídas na Califórnia

Com as chamas, insufladas pelos ventos, ameaçando o subúrbio densamente habitado de San Fernando Valley, em Los Angeles, os bombeiros preparam-se, hoje, para enfrentar mais um dia da batalha brutal que está-se desenvolvendo em meio ao mais destrutivo ? e um dos mais mortais ? incêndios da história da Califórnia. No mínimo, 1.134 casas foram destruídas e 15 pessoas morreram até agora em cinco focos espalhados pelo sul do Estado. Outras duas pessoas morreram no México.As chamas cobrem uma área que se estende por 160 quilômetros, da fronteira com o México aos subúrbios de Los Angeles. Uma meia dúzia de outros focos, embora não tenha atingido casas, queima hectares de florestas, reduzindo a cinzas cerca de 2.000 quilômetros quadrados de áreas verdes.?É o pior cenário que já vi. Mesmo um filme de pavor não seria tão horrível?, diz Gene Zimmerman, supervisor da Floresta Nacional de San Bernardino, a área na qual dois dos mais destrutivos incêndios começaram na semana passada.Um dos maiores focos, hoje, foi deflagrado nas Montanhas Santa Susana, que separam San Fernando Valley, subúrbio de Los Angeles, de Simi Valley, um pequeno distrito do município de Ventura. Esse incêndio destruiu 13 casas desde que começou, sábado, e está chegando perigosamente perto de Chatsworth, um condomínio de casas de milhões de dólares de Los Angeles.Ao mesmo tempo, a 145 quilômetros, no município de San Bernardino, dois incêndios, que surgiram ontem, ultrapassaram uma rodovia e estão se movendo como uma muralha contínua de chamas para a cidade turística de Lake Arrowhead. A cidade, que está a uma altura de 1.530 metros, tornou-se particularmente vulnerável ao fogo depois que uma praga de besouros devastou as árvores no entorno.As autoridades estão especialmente preocupados com a possibilidade de os incêndios se espalharem pelo alto das árvores, deixando os bombeiros, no solo, impotentes para combatê-los.?Se isto ocorrer, não teremos como acabar com o fogo?, disse a porta-voz do Serviço Florestal dos EUA, Carol Becley, ontem.Mais de 10.000 bombeiros estão trabalhando nos incêndios que já custaram à Califórnia mais de US$ 24.000.000. As 15 mortes registradas só perdem para o incêndio de 1991, que matou 25 e destruiu 3.000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.