18 grupos de trabalho investigam queda do airbus

A queda do avião da American Airlines no condado de Queens levou as autoridades federais a montar uma operação de investigação sem precedentes, com até 18 grupos de trabalho. Da investigação participam uma centena de pessoas, procedentes de várias agências, disse Marion Blakey, diretor do Departamento Nacional de Segurança nos Transportes (NTSB). O avião, um Airbus 300, caiu com 255 pessoas a bordo, às 9h17 (hora local) desta segunda-feira, três minutos após levantar vôo do aeroporto Kennedy, em Nova York, com destino à República Dominicana. Em entrevista à imprensa, Blakey disse que a caixa preta que grava as operações de vôo foi recuperada e que, segundo os dados pesquisados até agora, "não houve comunicações inusuais a partir da cabine de comando". A caixa preta será analisada em Washington, acrescentou. Embora Blakey não tenha dito quando serão divulgadas as primeiras informações sobre os dados, peritos em aviação disseram que o processo inicial poderá estar concluído dentro de 24 horas. Ele indicou que está sendo verificado o plano de vôo, segundo o qual iam a bordo 255 pessoas, a fim de determinar se havia alguém mais entre os viajantes, como, por exemplo, soldados que podem ser transportados fardados. Blakey se absteve de comentar sobre a possível origem do acidente, indicando ser necessário esperar algumas horas para se ter um panorama mais amplo das possibilidades. Interrogado sobre se, como disseram algumas testemunhas, o avião explodiu no ar ou começou a desintegrar-se quando caía, Blakey disse ter recebido informações não confirmadas de que "algumas partes do avião, incluindo partes do motor, estavam espalhadas por um amplo raio". "Mas não temos informação específica sobre os próprios motores", acrescentou. Indicou que o NTSB está informando ininterruptamente a Casa Branca sobre os avanços nas investigações e que os informes estão sendo coordenados pelo secretário dos Transportes, Norman Mineta. Sem entrar em especulações, Blakey disse: "Uma das coisas com as quais estamos comprometidos é proceder a uma investigação total a respeito do sistema, da parte mecânica, da história do avião, da tripulação e dos fatores humanos que poderiam estar envolvidos (no caso)". Blakey disse que os procedimentos de manutenção do avião proporcionaram "boa informação, mas... nada indica um problema específico hoje".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.