18 morrem em combates do exército filipino com separatistas

Confrontos acontecem desde domingo na ilha de Mindanao; entre os mortos há dois soldados e 16 rebeldes

Efe,

25 de agosto de 2008 | 06h15

Pelo menos dois soldados e 16 rebeldes da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI) morreram nos combates que acontecem desde domingo na ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, pelo controle de um acampamento desta organização muçulmana separatista. Fontes militares disseram nesta segunda-feira, 25, que há um número indeterminado de feridos entre as forças rebeldes que defendem a Base 102 do FMLI, onde acreditam que se esconda Abdurahman Macapaar. Ele é conhecido como "Comandante Bravo", um dos dois chefes insurgentes que o governo quer deter como responsáveis por vários ataques a povoações cristãs este mês. O porta-voz do Comando Ocidental de Mindanao, o comandante Eugene Batara, disse que oito inimigos morreram sob o fogo de artilharia, outros quatro no bombardeio aéreo, três mais nos combates corpo a corpo e o último que fecha esta lista morreu por causa dos ferimentos. Batara disse que as tropas governamentais conseguiram tomar quatro posições defensivas do FMLI que protegem o acampamento maior e obrigaram "o inimigo a retroceder com fortes baixas".

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasconfrontos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.